16 artistas internacionais participam nas Residências da FBAC | 1 setembro a 31 outubro

Residências Artísticas 2

A Fundação Bienal de Arte de Cerveira (FBAC) vai receber, a partir de quinta-feira e até outubro, 16 artistas internacionais em residência, de nacionalidades portuguesa, brasileira, espanhola e colombiana. No total, são 15 os projetos artísticos que serão desenvolvidos em Vila Nova de Cerveira, desde a área de gravura, escultura, pintura, fotografia serigrafia, entre outras.

Ao longo de dois meses a Casa do Artista Jaime Isidoro vai acolher artistas com o objetivo de “motivar a troca de experiências e conhecimento entre artistas e destes com a comunidade local, fomentando o desenvolvimento social e projetando as artes e cultura portuguesas”, explica o coordenador artístico e de produção, Cabral Pinto.

Este ano concorreram ao Programa de Residências Artísticas do presente ano 67 projetos de 73 artistas, oriundos de 12 países.

As residências artísticas selecionadas decorrerão na “Casa do Artista Pintor Jaime Isidoro”, propriedade da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira e afeta à atividade da FBAC e no Fórum Cultural de Cerveira.

 

Conheça os artistas selecionados e os projetos que irão desenvolver! 

Fase 1 – 1 a 14 setembroLuís Plácido Costa (PT) | Iago Eireos (ES) | Manuela da Costa Lima (BR) | Diogo Costa (PT)

Fase 2 – 16 a 29 setembroMárcia Belloti & Luiza Porto (BR) | Zélia Mendonça (BR) | Ivan Silva  (PT)

Fase 3 – 3 a 14 outubro | Priscila Lopes Cantisano (BR) | Elton Hipolito (BR) | Selma Pereira (PT) | Lilian Barbon (BR)

Fase 4 – 18 a 31 outubro | Xela Marx (ES) | Dennise Vaccarello (ES) | Juan Alonso (CO) | Eleonora Gomes (BR)

 

 

Casa do artista pintor Jaime Isidoro 2

A Casa Do Artista Jaime Isidoro

Jaime Isidoro, construtor de edifícios míticos, congregador de sinergias nas Artes, foi o primeiro português que acreditou nos artistas, para lá da sua representação temporal e lhes proporcionou condições de os transformar de visionários em “arquitetos” de uma nova forma de comunicação através do que está para lá da visão do simples espectador.

Ele foi o promotor da ideia de uma residência em Cerveira que permitisse a criadores de arte fazerem residências de investigação e produção que aproximassem as populações do Concelho à ideia da comunicação através da Arte para o seu desenvolvimento sociocultural e, consequentemente, económico.

Assim nasceu a Casa do Artista, em 2001, onde já passaram mais de 200 artistas que produziram grande parte de um espólio artístico, hoje integrado no Museu Bienal de Cerveira.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someone
Publicado em Notícias