FBC integra candidatura transfronteiriça a projeto de cooperação de inovação e cultura

Incubadora de Indústrias Criativas Bienal de Cerveira

A Fundação Bienal de Cerveira apresentou, juntamente com 12 entidades do âmbito da cultura e inovação de Portugal e da Galiza, uma candidatura à primeira convocatória do Interreg 2014-2020, do Programa de Cooperação Transfronteiriça Espanha Portugal (POCTEP). Este projeto, que espera mobilizar um total de 4.598.804 euros entre 2016 e 2020, pretende explorar a criatividade como potencial dinamizador da inovação e investigação e da tecnologia como fator de desenvolvimento das Indústrias Culturais Criativas.

“Como é amplamente reconhecido, as bienais de arte colocaram Vila Nova de Cerveira no mapa. Com a colaboração do conjunto de entidades proponentes, a Fundação Bienal de Cerveira, como aglutinadora e repositória dos conhecimentos adquiridos ao longo deste 38 anos de experiências, quer contribuir para integrar a cultura e a arte, associada à criatividade e à inovação, no âmbito das relações transfronteiriças, aportando ao seu know-how ao contexto em que se inserem os objetivos desta candidatura”, assegura o presidente da Fundação Bienal de Cerveira, Fernando Nogueira.

A Fundação Bienal de Cerveira totaliza um orçamento de 275 mil euros a distribuir por cinco ações: Galiza-Norte de Portugal: território criativo e inovador; Tecnologia como impulsora de las Indústrias Culturais e Criativas; Talento como veículo da inovação; Espaços de inovação e criatividade; Gestão e coordenação; e Comunicação. Na Incubadora de Indústrias Criativas da Bienal de Cerveira prevê-se, ainda, a criação de um Fab-Lab, que incluirá tecnologias como impressão 3D, fabricação aditiva, cortadores de laser, etc., permitindo impulsionar projetos empreendedores e empresariais de múltiplos setores.

O projeto “Estrutura de promoção da criatividade, inovação e transferência de conhecimento na Euroregião da Galiza – Norte de Portugal”, reúne neste consórcio transfronteiriço 13 parceiros – oito portugueses e cinco espanhóis: a Fundação Cidade da Cultura da Galiza (chefe de fila), os municípios de Ourense e Guimarães; as universidades da Corunha, de Santiago de Compostela, de Vigo, do Minho e a Católica Portuguesa; a BICMINHO, o Instituto de Design de Guimarães; o Centro de Computação Gráfica de Guimarães; e a ADDICT – Agência para o Desenvolvimento das Indústrias Criativas.

Esta candidatura pretende, assim, desenvolver atividades como a criação de uma infraestrutura de dados espaciais de recursos de inovação aplicáveis à cultura e criatividade na Euro Região; uma plataforma tecnológica com orientação B2B (Business to Business) pondo em contacto a oferta criativa e tecnológica com empresas, prestando especial atenção à implicação e trabalho dos setores tradicionais; um programa de residências para profissionais do setor cultural e criativo em empresas de todo o tipo; e a criação de uma unidade mista de investigação no âmbito da inovação e criatividade.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someone
Publicado em Notícias